MISSÕES EM FAMÍLIA: COMO ADAPTAR A FAMÍLIA AO CAMPO MISSIONÁRIO?

Algo importante que temos aprendido, é que Deus se importa com nossa vida em cada mínimo detalhe. O novo testamento revela que Jesus não nos vê como servos. Ele escolheu nos chamar de amigos (Jo 15:15), pois nos fez conhecer o que o Pai o revelou, embora servir seja um princípio elementar no Reino de Deus.

A diferença é que Deus nos identifica pelo que somos, e não pelo que podemos fazer para Ele. Servir é uma função em seu Reino, e não a identidade dos que pertencem a Ele. Sendo assim, Jesus está muito mais interessado no que somos e estamos nos tornando, do que no produto que pode sair de nossas vidas, visto que a qualidade do fruto está diretamente ligada à qualidade da árvore.

E O QUE ISSO TEM A VER COM FAMÍLIA E FILHOS NA MISSÃO?

Para termos uma vida saudável como servos de Deus em seus propósitos, é necessário garantir que nossa vida pessoal esteja sendo conduzida de forma que glorifique a Deus.

Um missionário solteiro desfruta de uma liberdade única desse momento da vida. O “ir e vir” é algo simples e de baixo custo. É possível se hospedar facilmente, a agenda é mais maleável, e recursos de dinheiro, tempo e dedicação podem ser direcionados exclusivamente à missão que está proposta.

A manutenção de um missionário solteiro é muito diferente de uma família missionária. Pensando sobre isso, nós entendemos bem o que o Apóstolo Paulo quis dizer quando afirmou que a pessoa solteira preocupa-se com as coisas do Senhor, e não está dividida (I Co 7:32-35).

Não é que ele seja contra o casamento, pois segundo a Bíblia, o casamento é uma instituição divina e de grande valor no Reino e no mundo. Porém, quem se casa e forma família perde a liberdade de se dedicar exclusivamente ao ministério, e ainda, de acordo com Paulo, encontra certas dificuldades das quais poderia ser poupado.

Da mesma forma, um casal sem filhos tem um estilo de vida muito diferente de um casal que já os tem. Filhos têm prioridades ainda mais onerosas. Bebês e crianças em qualquer contexto apresentam necessidades minuciosas no dia a dia que não podemos passar por cima. Você se torna responsável por outro ser e não pode submetê-lo à condições as quais oferecem riscos à sua saúde emocional, física e ao seu desenvolvimento.

Então, podemos ver que nossa vida pessoal pode afetar de muitas formas a obra que está sendo realizada por nós. Deus como o Senhor da seara, e como nosso Pastor e Pai, quer cuidadosamente nos guiar a fim de estarmos sempre saudáveis nessas questões individuais. Ele deseja que estejamos supridos e de forma íntegra e exemplar, podermos realizar sua obra na Terra.

Como é ser uma família em missões?

Bem, é fato que a maioria dos cristãos deseja constituir família.

O Rafa e eu nascemos em um lar cristão, por isso conhecemos a história de muitas pessoas cristãs de gerações anteriores à nossa. A gente sempre reparou no fato de muitas dessas pessoas terem sido ativas na obra de Deus quando jovens, mas com o passar dos anos, mudaram de prioridades e passaram a não servir mais com a mesma intensidade.

Muito disso se deve à chegada dos filhos. A demanda dos pequenos é enorme e é uma tendência de que abandonemos projetos de vida, se não mantermos acesa a chama do Espírito e uma busca constante pelos interesses do Reino de Deus.

Por isso, decidimos de antemão nos preparar para esse momento a fim de não abandonarmos o chamado à medida que aumentamos a família.

Separei 5 pontos para termos em mente:

1. SER RESILIENTE

Ter disposição para enfrentar circunstâncias adversas e não esperar o melhor conforto de tudo. Se preparar para esperas em viagens, preparar refeições de antemão, tomar banhos rápidos, levar menos roupa, e coisas do tipo.

2. AJUNTAR POUCO

Uma realidade inevitável na missão é que suas coisas se reduzem à algumas malas. Toda vez que morarem mais tempo em algum lugar e forem ajuntando ali, vão precisar deixar a maioria das coisas para trás da próxima vez que forem se mudar. É mais simples adotar um estilo de vida com o mínimo de coisas que puderem ter.

3. Estar pronto para mudanças

Um missionário aprende a não fazer planos em longo prazo. É algo inevitável. Se mudar se torna algo normal. E isso sem falar nas despedidas. Ah! As despedidas! Nunca é fácil, mas é necessário. Deus está te chamado e você deve ir. Algumas vezes dá tempo de planejar, outras nem tanto, por isso estar pronto para a mudança e não resisti-la torna as coisas mais fáceis.

4. Homeschooling

Aqui, entramos em um tópico que pretendemos falar algumas vezes no blog: Educação Domiciliar. Educar os filhos em casa não é uma tarefa das mais fáceis, mas coopera muito com o dia a dia das missões. Onde quer que vocês estejam, os estudos dos seus filhos não estarão prejudicados, e as diversas experiências transculturais agregarão generosamente na formação dos seus filhos e na sua própria.

5. Trabalhar pela Internet

Outro assunto que vocês verão muito por aqui. Para aqueles que são missionários e não são custeados por alguma instituição, trabalhar pela internet pode viabilizar a continuidade dos negócios na família e a sua atuação no mercado de trabalho, de onde estiverem.

Como lidar com as crianças?

Precisamos entender que as crianças são a parte sensível disso tudo. Porém, naturalmente elas têm uma capacidade de adaptação muito maior do que a nossa.

A criança vai aprender a ver valor em um estilo de vida como esse à medida que ela se sentir parte dessa missão. Ela precisa ver que é importante, e não apenas acompanhante dos pais.

Muitos filhos de obreiros sentem que estão em segundo lugar, e que seus pais estão sempre prontos para ajudar outras pessoas, mas não lhes direcionam a atenção que eles precisam.

Nunca devemos cair neste erro! Nossa família é a nossa prioridade. Nunca podemos nos esquecer de que eles precisam, assim como qualquer pessoa, conhecer a Jesus. Uma criança não nasce cristã só por ser filha de missionários. É preciso um esforço da nossa parte para pregar Jesus à ela e não apenas esperar que ela se converta automaticamente.

Algumas vezes precisaremos diminuir o ritmo, apascentar nossos filhos, cuidar do coração deles, fortalecê-los primeiro, para então continuar. Outras, precisaremos nos aninhar e viver um momento somente nosso. A criança precisa ser envolvida no propósito da família e confiar na liderança de seus pais.

Mas quando a hora for de seguir em frente, nossos filhos serão treinados e forjados durante a missão assim como qualquer outro missionário. E dessa forma, eles estarão aprendendo a servir a Deus com alegria até que eles encontrem seu chamado independente dos pais.

Os benefícios de fazer missões e família

A família é uma instituição forte e está presente na sociedade como um pilar. Uma família cristã que ama a Jesus e o busca, se torna um exemplo para o mundo e pode gerar influência em diversas esferas na sociedade.

Quando estávamos na Inglaterra, trabalhamos em uma comunidade muito familiar. Uma das igrejas em que trabalhamos, realizava uma atividade semanal para bebês até três anos. As mães chegavam com as crianças logo cedo, e o ambiente já estava todo equipado para as atividades de recreação, música, teatro, lanches, etc.

Enquanto as crianças interagiam, as mães tinham a oportunidade de conversar e fazer amizade com pessoas da vizinhança. Famílias estrangeiras recém-chegadas tinham um lugar para se enturmar e trocar ideias com pessoas locais. Era um ambiente alegre e receptivo que atraía pessoas de fé diferente, mas que se sentiam abençoadas e acolhidas.

Em nosso tempo em Ribanceiras – MG nós pudemos ver como ser um casal nos abriu muitas portas para introduzirmos o trabalho na comunidade. Pudemos alcançar jovens, tanto meninas quanto meninos, para o discipulado. Pudemos nos aproximar de outros casais e noivos.

Trouxemos para as crianças um referencial feminino e masculino durante as interações e relacionamento, o que as levou ao ponto de nos ver, muitas vezes, como pais. Já me chamaram de mãe, dá pra acreditar? Haha

Até nossa cadela foi com a gente para lá, todos a amavam. Conversamos com muita gente por causa dela. Até hoje as pessoas de lá nos perguntam como ela está. Claro que temos que estar preparados para deixar nossos animais, como já fizemos em outra ocasião. Porém na hipótese de tê-los por perto, até mesmo eles podem nos abrir portas de relacionamentos.

A família alcança a todos, pois cada um dentro dela é um catalizador de pessoas através da identificação.

Conclusão

A família glorifica a Deus de muitas formas e traz realizações e conquistas aos homens e à humanidade. No Reino de Deus é da mesma forma. Não somente é possível estar na missão como família, mas também os benefícios que uma família cristã empenhada em expandir o Reino de Deus traz na comunidade em que está inserida, são muito proveitosos.

Que sua família esteja à disposição de Cristo em sua missão de salvar o mundo!

LAURA LIMA

Sou esposa, mãe e missionária. Escrever e compor têm um lugar especial no meu coração. Amo viver com propósito e busco significado em cada pequena coisa.

One thought on “MISSÕES EM FAMÍLIA: COMO ADAPTAR A FAMÍLIA AO CAMPO MISSIONÁRIO?

  • setembro 29, 2020 em 3:48 am
    Permalink

    Minha menina missionária, meu coração se alegra de ver o chamado de DEUS se cumprindo cada dia na sua vida e te capacitando pra essa missão desde quando vc ainda estava sendo formada no ventre da sua mãe. Linda missão, e creio que neste ministério vc será um referencial para todos que te conhecer. Te abençoo com toda sorte de bençãos. Um grande abraço e um beijo grande 💋 Tia Kátia

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *