FELIZ DIA DE SER COMO AS CRIANÇAS

Acredito que um dos maiores erros que cometemos em relação às crianças, é considerá-las como um ser em “stand-by”, que está aguardando para que possa algum dia, de fato ser alguém na sociedade. As crianças não são o futuro e o que está por vir, elas são parte essencial da sociedade de agora.

As crianças são o hoje. E não somente elas fazem parte do que já somos, como também segundo disse Jesus, elas são um modelo que deve ser seguido.

A infância traz a imagem da imaturidade em todos os aspectos. A falta de compreensão dos riscos, a atitude que não considera as consequências, a incapacidade de esperar, a falta de domínio próprio, a comunicação ainda em construção, o caráter a ser formado, o desequilíbrio, a dependência total dos pais; esse ser tão pequeno e frágil nos dá a impressão de que ele não deve ser referencial para nós, já que superamos a infância há tanto tempo, deixando para trás tanta incapacidade e fragilidade.

Nesse pensamento, os discípulos de Jesus, ao ver que as pessoas estavam trazendo as criancinhas para que Jesus tocasse nelas, repreenderam seus pais, tentando afastá-las. Posso imaginar que eles julgavam que a presença delas seria um incômodo para o mestre. Afinal, crianças gritam, correm, fazem perguntas sem parar, perturbam o sossego, fazem comentários constrangedores. Jesus tinha tantas obras importantes para realizar, e eles – seus discípulos – se viam na responsabilidade de afastar dali qualquer tipo de distração.

No entanto, para a surpresa de todos, Jesus os respondeu de forma totalmente inusitada: “Mas Jesus chamou a si as crianças e disse: “Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas.” Mateus 19:13-15

Eu considero que Jesus foi muito ousado em sua resposta. Ele estava dizendo que este Reino, o qual Ele anunciava; o Reino de Deus que veio do céu aos homens através do Messias, este mesmo Reino o qual Jesus descreveu como “maior tesouro”, o Reino do Rei Jesus, no qual habita toda a santidade de Deus e sua glória, o Reino aguardado, desejado e superior à qualquer outro, o Reino invisível que revela a cultura do céu em nosso coração, este Reino, incomparável, pertence à elas, às crianças!

E “quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele” (Lc 18:17). Existe algo celestial nas crianças, uma conexão com a santidade e pureza de Deus. Nelas está presente uma expectativa tão latente, que as fazem se render e entregar-se sem reservas quando o amor de Deus se manifesta a elas.

O amor de Deus revelado à uma criança toma o coração dela por inteiro. Ela não tem dificuldade e nem vergonha de ter total dependência dele. A criança é resiliente e aceita a disciplina, ela faz questão daqueles que, com amor, a corrige para o seu bem. A criança tem um coração alegre e bem disposto. Ela cai dezenas de vezes no mesmo dia ao aprender a andar; e embora ela chore de dor e frustração por um momento, ela sempre tentará mais uma vez. A criança perdoa nossos erros, mesmo em nossa dureza, quando não os reconhecemos.

A criança se alegra com a presença de suas pessoas queridas e tem humildade suficiente para demonstrar essa alegria sempre. Ela não se acha superior a ninguém. Uma criança é sincera em expressar seus sentimentos, ela não finge ser quem não é. Até certa idade, ela nem sabe o que é fingir. A criança se move na verdade. Ela nasce sem medo do escuro, do mau. Ela aprende o que quer que a ensinarem. E por falar em aprender, ela é uma verdadeira máquina de aprendizado, não há limites para o seu potencial.

Ela realiza tarefas difíceis, experimentos científicos complexos, trabalha o dia inteiro, rompe seus limites, e chama isso de “brincar”. Jesus sabia o que estava dizendo. Não, Ele não estava enganado e nem exagerando. O Reino é delas, pois elas são inocentes, graciosas, generosas. Elas não contam horas e minutos; elas não têm ansiedade com o futuro.

Os olhos delas são bons, pois mesmo vendo nossos piores defeitos, nos consideram como heróis. Elas veem o melhor em nós, e extraem o melhor de nós, aperfeiçoando nossas escolhas e atitudes apenas pelo fato de existirem.

As crianças manifestam as virtudes de Deus. Entre os que estavam ali na multidão, elas eram as que mais se assemelhavam ao filho de Deus. Elas também precisam do perdão e salvação, mas elas se abrem mais, se entregam mais livremente, elas creem mais intensamente.

Minha oração ao final desse dia das crianças é que eu, sendo gente grande, me diminua novamente, na esperança de parecer um pouco mais com um desses que em si, guarda o maior tesouro de todos: o Reino de Deus.

LAURA LIMA

Sou esposa, mãe e missionária. Escrever e compor têm um lugar especial no meu coração. Amo viver com propósito e busco significado em cada pequena coisa.

One thought on “FELIZ DIA DE SER COMO AS CRIANÇAS

  • outubro 13, 2020 em 1:24 am
    Permalink

    Lindo texto!
    Que o Senhor abençoe grandemente a vida e o ministério dessa família que amamos.
    Abraços!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *