SOMOS TODOS FILHOS DE DEUS?

Há quem diga que todos somos filhos de Deus e que independente da vida que se leva, de sua crença pessoal, Deus vê a todos como filhos, parte integrante de sua grande família.

Porém, sabemos que em algum momento o filho irá manifestar características as quais herdou do pai, sejam elas físicas, comportamentais, de princípios e valores; e um modo de viver compatível com a natureza que o gerou e com o exemplo de vida que recebeu. Da mesma forma, um verdadeiro filho de Deus deve manifestar a natureza de Deus e seus princípios.

A família é a união de pessoas que estão ligadas através de laços sanguíneos, de convivência e de afeto¹. Essa relação pai e filho, só pode ser reconhecida como tal através de algum desses laços e se esses papéis estiverem sendo desempenhados um na vida do outro. Assim sendo, para sermos filhos de Deus, não basta somente termos sido criados por Deus, mas precisamos estar unidos a Ele nessa relação.

A má notícia para nós, é que quando o primeiro homem, Adão, pecou, nós nos tornamos inimigos de Deus. O pecado trouxe para a humanidade a ira de Deus, pois Deus é Santo e não tem comunhão com o mal. Dessa forma, experimentamos a separação total de Deus.

A evidência disso é dada simplesmente ao observarmos o mundo e como se comportam as pessoas. Não existem limites para o mal praticado pelo ser humano, e cada um de nós temos parte nisso. Uma pessoa separada da glória de Deus, é escrava do pecado, pois sua natureza é pecar. Em nada se parece com Deus e não consegue praticar as mesmas obras que Ele pratica.

Graças a Deus, essa história não termina aqui. Pois ainda que Deus não seja Pai da humanidade pecadora, Ele é pai de um Filho Santo que se parece absolutamente em tudo com Ele, esse Filho está unido a Deus em um laço perfeito, santo e inabalável. A Bíblia o descreve como Filho unigênito de Deus, e graças a este Filho – Jesus – Deus nos abriu a possibilidade de um dia termos o direito à paternidade de Deus em nossa vida.

QUEM É O FILHO DE DEUS?

Muitas pessoas pensam que Jesus aparece na Bíblia apenas no Novo Testamento. Porém, logo no início, no livro de Gênesis, Jesus foi anunciado por Deus pela primeira vez. E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. Gênesis 3:15 Esta semente, representa o que advém de cada uma, o seu descendente, em outras versões.

Dessa forma, Jesus é anunciado como aquele que embora ferido pela serpente (sua morte na cruz), esmagaria sua cabeça para sempre (sua ressurreição). Após isso, em todo o Antigo Testamento, podemos ver a história da descendência de Eva, toda a simbologia e anunciação do Redentor da humanidade, e como Deus preservou a todas as gerações até culminar no nascimento de Cristo.

Jesus Cristo então é anunciado na Bíblia como o Salvador, aquele cujo sacrifício na cruz, daria o direito a todo o que nEle crê, de ser ligado novamente a Deus.

Jesus é o Messias prometido por Deus, o homem que nunca pecou, que foi enviado ao mundo para morrer a morte que nós merecíamos e nos dar a vida eterna. Basicamente, Deus tratou Jesus como nós merecíamos, e nos trata como Jesus merece, nos dando da plenitude da sua vida. Sua morte na cruz foi para nos substituir. Tudo isso de forma graciosa, mesmo que não sejamos dignos, esse é o verdadeiro amor de Deus. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. (João 3:16)

O Apóstolo João deu uma das descrições mais icônicas da Bíblia sobre quem é Jesus: No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. (João 1:1-4)

Embora Deus e Jesus sejam descritos como o Pai e o Filho, como se estivessem separados, A Bíblia afirma que Jesus não somente estava com Deus desde o princípio, mas que Ele é Deus. Ou seja, Eles são Deus, e não deuses. Jesus também disse: […] Pai santo, guarda-os no teu nome, o qual me deste, para que eles sejam um, assim como nós. […] para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós. (João17: 11 e 21)

Não existe um exemplo terreno perfeito para explicarmos a Trindade (Pai, Filho e Espírito Santo), é um mistério em Deus. Mas podemos crer absolutamente que eles estão unidos em uma união perfeita, da qual também nós, através de Cristo, podemos fazer parte, não da trindade, pois jamais seremos Deus, mas pela fé em Jesus, é nos dado o poder se sermos feitos filhos de Deus […] (João 1:12) Adentrando então, a essa santa família de muitos filhos semelhantes a Jesus.

Veremos um pouco mais sobre a trindade em outro momento, e sobre o Espírito Santo. Deixe-nos saber se você tem interesse nesses assuntos!

Como posso ser um filho de Deus assim como Jesus?

Algumas religiões veem Jesus apenas como um homem diferenciado, que andou com Deus e praticou boas obras, ou até mesmo um profeta, mas não o Filho de Deus. Essas pessoas apenas não compreendem que sem o Filho, nós jamais poderíamos nos aproximar de Deus e andar nos seus caminhos. O que Deus, sendo justo, faria com todo o nosso pecado e culpa? Uma vista grossa a toda a sujeira praticada pela humanidade, e varrê-la para debaixo do tapete?

Não é bem assim, pois Deus é Santo e Justo. Ele retribui de acordo com as obras de cada um, não como quem odeia a humanidade, mas como quem é bom e fiel à sua Palavra e precisa condenar o mal. Deus condenou todo o mal de nossas vidas em Jesus. Essa substituição é necessária para que nossa dívida fosse paga, e pudéssemos ser unidos ao nosso Criador novamente.

Não existe um atalho, ou um caminho diferente. Deus estabeleceu por sua justiça e sabedoria, que somente em Cristo, seu Filho, nós podemos ser aceitos em sua presença e nos tornarmos filhos também.

Muitas pessoas pensam que podem se aproximar de Deus através de obras e rituais religiosos, mas somente através do sangue de Jesus, o homem que nunca pecou, podemos ser considerados justos diante de Deus.

Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome […] (João 1:12).

É muito incrível saber que “ser feito filho de Deus” é um poder; poder esse que não pode ser conquistado por nós, mas que foi conquistado por Jesus, e Deus o dá a nós. De fato ser um filho de Deus é viver uma vida poderosa, é receber uma herança em Cristo, é assentar-se à mesa do Pai, recostar em seu colo, é achar nosso lugar de origem.

Nada pode substituir a paternidade de Deus. Jesus o chamava de “Abba”, paizinho. Deus deseja ter intimidade conosco em uma relação de amor de Pai e filho(a). Não somos todos filhos de Deus, sem antes receber esse poder e privilégio que só é dado através de Jesus.

Referências:

¹https://www.todamateria.com.br/familia-conceito-tipos/

LAURA LIMA

Sou esposa, mãe e missionária. Escrever e compor têm um lugar especial no meu coração. Amo viver com propósito e busco significado em cada pequena coisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *