10 DICAS PARA PERDER A VERGONHA DE PREGAR E EVANGELIZAR

Ouvimos tanto sobre a importância e o dever que temos como cristãos de testemunhar da nossa fé ao mundo. Ficamos cheios de esperança e um desejo de ser de fato um propagador do Evangelho de Jesus. Porém, na hora da prática, nos deparamos com a vergonha de pregar e evangelizar, despreparo por não saber falar em público, por achar que estamos sendo inconvenientes ou até mesmo, nos bate um medo de manchar nossa imagem e reputação.

Se você se sente assim, mas gostaria de vencer essas limitações, esse texto pretende te dar algumas dicas práticas para te ajudar a se soltar, e algumas ferramentas que podem te auxiliar a colocar em prática sua missão de falar de Jesus para as pessoas.

POR QUE TENHO VERGONHA DE PREGAR E EVANGELIZAR?

ANSIEDADE E MEDO

É muito comum que pessoas tímidas ou qualquer pessoa que passe por situações específicas de timidez e nervosismo em público, achem que as outras pessoas mais extrovertidas e desenvoltas, nunca sentem vergonha de nada. Que para elas é sempre algo natural e fácil de fazer, pois faz parte da personalidade delas.

Isso não é verdade! A maioria das pessoas sente algum nível de desconforto e ansiedade na hora de abordar pessoas desconhecidas, puxar algum assunto confrontador com alguém ou falar em público. Isso acontece devido a um de nossos instintos mais primitivos: “Luta ou fuga“. Essa reação do nosso corpo acontece como um instinto de sobrevivência, que nos ajuda a tomar uma decisão rápida de lutar ou fugir em face de alguma ameaça.

Perder o sono, mãos e pés suados, tremores, gagueira, respiração ofegante e palpitações, sensação de aperto do peito. Tudo isso indica que você está ansioso devido a uma situação de pressão. Os gatilhos que desencadeiam esses episódios podem ser variados. Por exemplo: Medo de ser criticado negativamente, estar sendo observado, medo da rejeição, medo de ser constrangido, de passar a impressão errada, de ser julgado, de se sentir inferior, medo de esquecer o que tinha para dizer.

FALTA DE CONHECIMENTO

Outro motivo importante que leva pessoas a se acanharem na hora de pregar é a falta de conhecimento e propriedade no assunto. Muitas pessoas, ainda que frequentem igrejas há anos, podem não ter fundamentos Bíblicos o suficiente que possam lhes auxiliar na hora de pregar um a um ou preparar um sermão.

Uma pesquisa realizada por Oswaldo Paião, editor e jornalista da Abba Press & Sociedade Bíblica Ibero Americana, revelou que 50,68% dos pastores e líderes brasileiros, nunca leram a Bíblia Sagrada toda pelo menos uma vez (2014). Outra pesquisa da LifeWay Research, constatou que apesar de 90% dos cristãos entrevistados afirmarem que “desejam agradar e honrar a Jesus em tudo o que fazem”, apenas 19% leem a Bíblia diariamente (2012).

FALTA DE CONVICÇÃO

O grupo de pesquisas norte americano Barna, publicou em Fevereiro de 2019 uma pesquisa que revelou que 47%, quase a metade dos jovens cristãos americanos da geração millenials, acreditam que a prática do Evangelismo é errada. Cada vez mais, as pessoas têm perdido a convicção da necessidade e urgência da pregação do Evangelho.

Hoje é muito comum o pensamento de que pregar para alguém sobre Jesus, é uma invasão de privacidade e um desrespeito à individualidade de cada um. Esse novo pensamento, aflige muitos cristãos fazendo-os perder a convicção da grande comissão e dessa forma, enfraquecem a propagação das boas novas da salvação pelo mundo. (Saiba mais no texto PROIBIDO EVANGELIZAR)

Tudo isso citado acima, são gigantes que enfrentamos diariamente quando queremos nos tornar efetivos pregadores do Evangelho do Senhor Jesus. A fim de vencermos esses inimigos, vamos nos atentar com cuidado aos seguintes conselhos:

#1 O PODER PARA PREGAR VEM DE DEUS

O Reino de Deus é totalmente diferente do mundo. Apesar de ser uma responsabilidade anunciar as boas novas de Jesus, Deus não nos cobra desempenho e resultados da forma como é cobrado no mundo. Nós somos filhos de Deus, e Ele nos ensina com amor. Jesus disse: Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da Terra (Atos 1).

Ele mesmo se responsabilizou por nos dar o poder e as ferramentas para fazermos essas coisas. Não se trata de uma capacidade natural, desenvoltura ou personalidade. Jesus nos batiza com o Espírito Santo para que então estejamos aptos para pregar com ousadia e destemor. Invés de tomarmos um jugo sobre nós, como se estivéssemos fadados a cumprir uma tarefa amarga, devemos buscar em primeiro lugar, poder do alto para, então, fluirmos no testemunho do que Jesus tem feito em nós.

A Igreja primitiva estava em constante oração e incessante busca por Deus, assim eles realizaram uma grande obra em seu tempo. Ore!

2# CONHEÇA SUA “AUDIÊNCIA”

É muito importante conhecermos com quem estamos falando. É muito diferente quando alguém está simplesmente lançando verdades “ao ar”, do que quando se está falando direcionado à alguém que você conhece, e pode se identificar. Jesus se identificava com as pessoas através da compaixão (MT 9:36). Ele mesmo pode nos socorrer em nossas tentações porque também foi tentado.

A mensagem é muito mais poderosa quando vem de uma pessoa que tem empatia e respeito, e que ama verdadeiramente aqueles os quais se deseja alcançar. Além do mais, conhecer a audiência te ajudará a ficar cada vez mais à vontade, pois a compaixão gera proximidade e a proximidade gera confiança.

3# AJA COM A ANSIEDADE

Esse é um conselho que recebi há muito tempo e que mudou minha forma de ver a ansiedade: Não tente se livrar da ansiedade! Aja com ela.

Não é possível se livrar da ansiedade e do nervosismo somente com a força do pensamento. Rejeitar a ansiedade e se preocupar exacerbadamente com ela, somente irá te fazer mais nervoso e focar no lugar errado. Invés disso, aceite a ansiedade, e apesar dela, faça aquilo que você precisa fazer. Isso não significa se conformar em estar ansioso o tempo todo, mas entender que você é uma pessoa que está crescendo, aprendendo, adquirindo experiências e que isso é normal.

Quando eu comecei a fazer o que estava proposto mesmo com todos os sintomas de ansiedade, aprendi a assumir o controle da situação, dessa forma adquiri cada vez mais confiança naquilo. Não são minhas emoções ou o ambiente externo que vão me guiar. Mas, o Espírito de Deus que está em mim, me capacitando a cada vez que preciso realizar a sua obra.

Domínio próprio não é fazer tudo como se fosse fácil, mas saber que você está acima dos sentimentos, e que apesar deles, você é livre para tomar suas decisões de forma sábia e consciente. Como se diz hoje em dia: vai lá e prega!

4# ESTUDE A BÍBLIA

A falta de conhecimento Bíblico é generalizada no meio do povo de Deus. Estatísticas apontam para uma displicência dos cristãos quanto a se aprofundar no conhecimento das Escrituras Sagradas. Se você deseja ser um propagador da mensagem de Jesus, você não vai querer “seguir a boiada” e terceirizar sua responsabilidade de sacerdote.

É claro que se você não souber a Bíblia, você estará sujeito à situações constrangedoras, pois seu testemunho como cristão não estará à altura das suas palavras. Dessa forma, sua confiança estará cada vez mais minada na hora de falar de Jesus.

Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade. 2 Timóteo 2:15 Pedro também falou: […] e estais sempre preparados para responder com mansidão e temor a todo aquele que vos pedir a razão da esperança que há em vós; […].

#5 SEJA CRIATIVO

Ninguém erra por ser criativo. Um dos gatilhos que me dão vergonha na hora de pregar é estar cercado de ferramentas erradas que não comunicam com aquele público. Um panfleto ultrapassado, usar linguagem infantil para falar com adolescentes, puxar assuntos longos com pessoas que estão com pressa de ir embora, dar um sermão maçante e repetitivo, dentre outros. Tudo isso poderia ser evitado com uma dose de criatividade.

Lembro-me bem do dia em que preguei junto com uma amiga para adolescentes de uma escola em uma favela em BH. Tínhamos uma boa mensagem, mas falhamos ao preparar a estratégia. Os adolescentes eram extremamente debochados e mal educados, não conseguimos um minuto de atenção sequer.

Em seguida chegou outro missionário para falar com aquela mesma turma. Ele levou um tanto de chinelos Havaianas, e falou: “Vou dar essas Havaianas no final de graça para todo mundo! Todos vão ganhar! Mas, antes preciso falar algo para vocês.” Todos ficaram mega curiosos e se calaram na hora. Ele então falou que da mesma forma que ninguém fez nada para merecer aquele presente, mas iria ganhá-lo, Jesus nos deu um presente gratuito que é a salvação mesmo sem merecermos. Ele discorreu nisso e foi lindo!

Um pouco de criatividade muda totalmente a forma como as pessoas vão se interessar pelo que temos a dizer e a intensidade com que aquele momento vai ficar gravado em sua memória. E, além disso, pode ser uma forma incrível de te fazer relaxar ao se divertir com as pessoas e se conectar com elas.

#6 SEJA UMA RESPOSTA

Já se perguntou: Para quais necessidades minha vida pode ser uma resposta? Ao responder essa pergunta, você começa a ter uma noção melhor de quais formas Deus pode te usar dentro daquilo que Ele mesmo tem inclinado seu coração.

Ser relevante e ter conhecimento, pode te abrir muitas portas à lugares que você não chegaria de outra forma. O conhecimento é uma forma de se achegar às pessoas mais efetivamente, entrar no universo delas, começar um assunto, compartilhar informações, e então, se tornar um referencial de Cristo para as pessoas ao seu redor.

#7 TENHA UMA ATITUDE HUMILDE

Não há forma pior para aprender algo, do que quando aprendemos de alguém que tem uma atitude de superioridade. Nós cremos de fato, que a verdade do Evangelho é absoluta e inquestionável, porém nós estamos pregando aos nossos semelhantes. São homens e mulheres como nós, que precisam de salvação assim como nós também precisamos.

As pessoas precisam ver em nós uma atitude de alguém que deseja ajudá-las a chegar à Verdade, e não de pessoas que se sentem superiores à elas por já conhecê-la.

#8 SEJA CONFIANTE

Da mesma forma que é terrível inferiorizar as pessoas, também é terrível nos sentirmos inferiorizados por elas. Há diversas pessoas que fazem chacota de Jesus e da fé cristã, há pessoas que se valem de muito conhecimento e formação para dizer que quem crê em Deus é menos inteligente e intelectual. Há diversos tipos de atitudes e reações ao evangelismo e à pregação, mas nunca se esqueça de que independente da densidade da escuridão, Vós sois a luz do mundo […] (Mt 5:14).

Se alguém não o receber, não recebeu a mensagem de Cristo, portanto não recebeu o próprio Cristo. E Jesus não fica inferiorizado e envergonhado por isso. Ele sabe o valor do seu próprio sangue na cruz e o quão grande é o seu amor por aquelas pessoas. Por isso Ele disse na cruz: Pai perdoa-os, pois não sabem o que fazem. Bata a sandália e siga em frente.

Se você sabe de onde Cristo te tirou, você anda de cabeça erguida dando glórias a Deus.

#9 NÃO SE PRENDA AOS RESULTADOS

Afinal de contas, quem é Apolo? Quem é Paulo? Apenas servos por meio dos quais vocês vieram a crer, conforme o ministério que o Senhor atribuiu a cada um. Eu plantei, Apolo regou, mas Deus é quem fazia crescer; de modo que nem o que planta nem o que rega é alguma coisa, mas unicamente Deus, que efetua o crescimento. (1 Co 3:5-7)

Nossa vontade como semeadores da Palavra de Deus é ver cada pessoa se convertendo e sendo transformada pelo Senhor. Mas, a realidade é que nem sempre isso vai acontecer. Não nos compete trabalhar no coração das pessoas, esse papel é somente de Deus pelo seu Santo Espírito. Cumpra a parte que lhe cabe com fidelidade e excelência, e deixe que Deus se encarregue dos frutos.

#10 ANDE COM PESSOAS QUE FAZEM O QUE VOCÊ DESEJA FAZER

É impressionante o encorajamento que recebemos quando andamos com pessoas que estão sendo usadas por Deus naquilo em que desejamos ser usados também.

Procure pessoas e organizações para que você os acompanhe e sirva junto. Mas, se isso não estiver acessível a você, não use isso como uma desculpa para não fazer. Afinal de contas, você pode ser o primeiro!

A vergonha de pregar e Evangelizar, só tem lugar em nossa vida se não tivermos amor e compaixão suficientes pelo mundo. Nosso tempo é limitado, e precisamos vencer as barreiras que nos impedem ser uma benção para nossa geração.

Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio.
Portanto, não se envergonhe de testemunhar do Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro dele, mas suporte comigo os sofrimentos pelo evangelho, segundo o poder de Deus,
que nos salvou e nos chamou com uma santa vocação, não em virtude das nossas obras, mas por causa da sua própria determinação e graça
. (2 Timóteo 1:7-9)

LAURA LIMA

Sou esposa, mãe e missionária. Escrever e compor têm um lugar especial no meu coração. Amo viver com propósito e busco significado em cada pequena coisa.

3 thoughts on “10 DICAS PARA PERDER A VERGONHA DE PREGAR E EVANGELIZAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *